stress

Como gerenciar o Stress

 

O Estresse e o Sistema Imunológico

Estudos científicos indicam que pessoas adoecem com mais freqüência quando estão estressadas, isso porque o estresse desencadeia uma série de reações químicas que, em excesso, podem ser prejudiciais ao organismo.
Essas reações causam a liberação de alguns hormônios pelas glândulas adrenais. Um desses hormônios é o cortisol, que quando liberado em excesso reduz a atividade das células responsáveis pela resistência às infecções em geral e ao combate aos vírus e bactérias.

Como o Yôga pode auxiliar?

Estudos mostram que a prática do Yôga inibe a atividade do núcleo paraventricular do hipotálamo, segmento responsável pelo envio do comando para a liberação de cortisol, diminuindo a sua circulação e evitando os danos causados pelo seu excesso.
O Yôga também tem sido recomendado por vários médicos por aumentar a sensação de bem-estar, de relaxamento, de auto-confiança, melhora da atenção e concentração, controle da ansiedade e diminuição da irritabilidade. Ele desenvolve a capacidade de gerenciar e lidar melhor com as situações de estresse, portanto, evita a chamada “baixa de imunidade”.

Quando aparecem os benefícios?

Os relatos dos praticantes são de que já na primeira aula sente-se uma redução drástica dos sintomas do estresse. A grande vantagem sobre outras modalidades, é que as técnicas do Yôga são aplicáveis ao dia-a-dia e não necessitam de qualquer aparelho especial. Pode-se por exemplo, praticar as técnicas de respiração enquanto se está trabalhando, dirigindo, caminhando, em ou qualquer atividade. A respiração consciente e completa, que só o Yôga ensina, gerencia as emoções, aumenta a energia e a disposição do praticante.

Yoga3

Os Benefícios do Yôga

Você ainda não sabe o que o Yôga é capaz de proporcionar na sua vida?

Através de uma metodologia muito balanceada e integrada, proporciona um desenvolvimento muito intenso no individuo na parte de corpo, emoções e mente. O que ajuda evitar ou mesmo as vezes combater alguns problemas.

Vou listar algumas áreas onde o yoga pode influenciar positivamente:
1 – O Stress;
2 – Úlcera, pressão alta, enfarte
3 – Insônia
4 – Enxaqueca
5 – Asma
6 – Depressão
7 – Emagrecimento
8 – Coluna
9 – Impotência sexual/frigidez
10 – Alongamento muscular
11 – Flexibilidade x musculação
12 – Competição esportiva

1 – Stress
Stress é o estado psico-orgânico produzido pela defasagem entre o potencial do indivíduo e o desafio que ele precisa enfrentar. Para administrá-lo, não nos limitamos a proporcionar relaxamento. Muito mais importante é aumentar a energia do praticante para que o seu potencial suba e possa enfrentar o desafio de cima para baixo.
O stress em si não é uma coisa ruim. Sem ele, o ser humano ficaria vulnerável e não conseguiria lutar, trabalhar ou criar com a necessária agressividade. Mal é o excesso de stress ou a falta de controle sobre ele.
Entre um alerta psicofísico e outro, a pessoa teria condições de se re-fazer desse estado de extrema tensão orgânica e mental. Para tanto, seria preciso que houvesse menor freqüência do estado de tensão ou, então, técnicas específicas para minimizar a fadiga generalizada dali resultante e que produz uma reação em cadeia de efeitos secundários tais como enfarte, pressão alta, enxaqueca, insônia, depressão, nervo-sismo, queda de produtividade, queda de cabelo, redução da capacidade imunológica, herpes, problemas digestivos, úlcera, gastrite, impotência sexual, dores nas costas e o pior de todos os problemas de saúde: as contas do médico!
Basta reduzir o stress para amenizar também todos esses seus efeitos, os quais, de outra forma, dificilmente cederiam a um tratamento verdadeiramente definitivo. A terapia ficaria sendo meramente paliativa ou um mascaramento dos sintomas.
O Yôga é um dos recursos mais eficientes para reduzir o stress a níveis saudáveis. Tal opinião está publicada numa grande quantidade de livros sérios sobre o assunto e é partilhada por um bom número de médicos que indicam Yôga aos seus pacientes estressados. Noventa por cento das pessoas sentem os efeitos de combate ao stress já na primeira sessão de Yôga bem conduzida.

2 – Úlcera, pressão alta, enfarte
Aí estão três conseqüências diretas do stress e da vida sedentária. A maior parte dos tratamentos é paliativa. Quem tem úlcera ou pressão alta, passa anos a fio sendo medicado e sendo submetido a restrições na alimentação. Não obstante, quando ocorre uma contrariedade na empresa ou na família os sintomas costumam se agravar. O enfarte, quando não mata, inutiliza o profissional.
O Yôga oferece resultados em dois níveis: antes e depois de já ter tido problemas cardiovasculares. Antes, a prática do Yôga visa a reduzir enormemente a incidência de úlcera, pressão alta e enfarte em quem ainda não os teve. Depois, costuma auxiliar de forma palpável a recuperação da pessoa afetada. A úlcera e a pressão, geralmente já mostram melhoras desde o início da prática do Yôga, o que pode ser facilmente sentido pelo próprio praticante e confirmado pelo seu médico, cujo acompanhamento é obrigatório. No entanto, não confunda isso com terapia.
Quanto ao enfarte, esse tem no Yôga um conjunto de técnicas agradáveis e saudáveis que contribuirão efetivamente para mantê-lo em boa forma e para minimizar a possibilidade de um novo enfarte.
A expectativa de vida de um cardíaco que pratique Yôga bem orientado chega a igualar e, às vezes, superar a de uma pessoa não-cardíaca, mas que não pratique Yôga.

3 – Insônia
Ninguém sabe explicar como nem porquê, mas praticando Yôga de manhã ou à tarde, concilia-se o sono facilmente à noite. Por outro lado, praticar à noite costuma deixar a pessoa mais desperta (os estudantes praticam Yôga à noite para passar a madrugada estudando).
Há, porém, técnicas por excelência que ligam mais se praticadas à noite e os que, mesmo feitos antes de dormir, ajudam a conciliar o sono.
Temos tido casos de pessoas que há anos não conseguiam dormir sem medicamentos e que já no dia da primeira prática de Yôga, simplesmente esqueceram-se de tomar o remédio e dormiram a noite toda.

4 – Enxaqueca
Aquela dor de cabeça que ocorre de tempos em tempos, às vezes acompanhada de outros sintomas, tais como luzes cintilantes, enjôo, etc., pode ser a tal da enxaqueca.
Ela não tem remédio definitivo. Usam-se como paliativos os analgésicos mais ou menos fortes e uma série de cuidados com a alimentação e com o stress. Certos alimentos podem desencadear a enxaqueca numa pessoa e não numa outra. Às vezes, o leite desencadeia um acesso de enxaqueca, ou o ovo, ou comer demais, ou misturar muitos alimentos. Outras vezes, basta apenas uma emoção ou tensão.

A prática regular do Yôga costuma ir progressivamente espaçando mais os períodos entre uma enxaqueca e outra, assim como ir reduzindo consideravelmente a intensidade de cada uma. Muitos alunos nossos declararam que nunca mais tiveram acessos de enxaqueca a partir do seu primeiro mês de Yôga.

5 – Asma
Uma crise de asma geralmente precisa de dois fatores para que possa ocorrer: um físico e outro emocional, com predominância do primeiro ou do segundo, conforme a pessoa.
Entretanto, tanto num caso quanto no outro, as técnicas de Yôga têm-se mostrado excepcionalmente eficientes para reduzir a intensidade das crises e espaçá-las cada vez mais.
Os efeitos do Yôga sobre a asma também são muito rápidos, desde que o praticante execute em casa algumas técnicas respiratórias durante menos de cinco minutos por dia e participe de uma ou duas práticas completas por semana com um instrutor.
A maior parte dos asmáticos abandona a bombinha já na primeira aula. Basta executar um respiratório toda vez que achar que vai ter uma crise. A bomba fica no bolso só como apoio psicológico.
Vários alunos nossos que sofreram com a asma durante muitos anos, desde a primeira aula observaram melhoras e mais tarde declararam-se livres desse desconforto.

6 – Depressão
Algumas vezes a depressão tem razões justificadas e nesse caso é perfeitamente normal se, completado o seu ciclo, ela se extingue naturalmente, não deixa seqüelas e demora para se repetir.
Se a depressão é muito intensa, muito freqüente ou sem razão aparente, requer uma atenção especial.
O Yôga possui técnicas eficazes no combate à depressão. Uma delas é a hiperventilação que bombeia mais oxigênio para o cérebro. O Yôga utiliza tais técnicas há milhares de anos, mas só recentemente a ciência esboçou uma explicação: o aumento de oxigenação cerebral produz uma sensação de euforia, a qual elimina a depressão sem a necessidade de medicamentos.
Respiratórios, aliados às técnicas orgânicas e de relaxamento deram a fórmula perfeita para a eliminação da depressão.

7 – Emagrecimento
No Yôga, nós conseguimos emagrecer sem transpiração nem regime. É claro que a moderação alimentar é recomendável, mas não a neurose torturante das dietas.
Consta que o Yôga emagrece por atuar nas glândulas e regular a orquestra endócrina. Por exemplo, observa-se que diversas técnicas com fama de emagrecedoras eficientes são executadas sem esforço e quase todas estão comprimindo ou distendendo a tireóide. É sabido que a estimulação dessa glândula tende a produzir emagrecimento.
Outro recurso do Yôga é aumentar a absorção de comburente (oxigênio) através de determinados respiratórios, o que, acredita-se, induz ao aumento da queima das gorduras do organismo.
Há também técnicas de enrijecimento da musculatura e de contração do abdômen, as quais produzem um resultado estético que supera as expectativas.
Fora as técnicas, há o aconselhamento alimentar, pois não se pode ignorar que certos alimentos engordam mais do que outros. Mas isso nada tem a ver com regime ou dieta.
Finalmente, o Yôga conta com um trunfo poderoso: proporciona equilíbrio emocional, o qual freqüentemente falta nas pessoas que não conseguem emagrecer e que torna infrutífera qualquer outra tentativa, seja ela de exercícios, seja de restrição alimentar, o que pode até criar uma neurose.
Enfim, estes são os segredos do Yôga para conseguir tão bons resultados de emagrecimento em tempo razoavelmente curto.

8 – Coluna
Quem é que não tem algum problema de coluna? Quase todo o mundo tem. A razão disso é a vida sedentária que se tem hoje em dia, aliada às cadeiras e poltronas das residências, escritórios, automóveis e cinemas, totalmente mal projetadas. A isso, some-se o hábito de sentar-se mal, com a coluna torta, e o de ficar em pé com má postura, parar numa perna só, sempre a mesma; dormir numa posição só; carregar bolsa, pasta ou embrulhos sempre de um mesmo lado; levantar peso com a coluna mal colocada; dormir em camas muito moles e com travesseiros muito altos; etc.
Mas de todas as causas, a principal é a falta de exercício moderado, já que o exercício violento faz mais mal do que bem à coluna, como exemplo o cooper/jogging. A cada passada ocorre um pequeno trauma ritmado sobre as vértebras, o qual, repetido, pode causar problemas em algumas pessoas que já não tenham a coluna muito boa.
O Yôga tem produzido ótimos resultados para problemas de coluna, tais como lordose, cifose e escoliose. Para o bico-de-papagaio, hérnia de disco e outros mais graves, o Yôga atua bastante como profilaxia, ou então, quando já em estado evoluído, ajuda a atenuar as dores desde que, nesse caso, sob estrita orientação do fisiatra ou ortopedista.
Por outro lado há toda uma legião de pessoas que padece de dores crônicas nas costas, mas cujo desconforto não tem nada a ver com a coluna propriamente dita. São dores musculares, facilmente elimináveis com as flexões, extensões, torções e trações proporcionadas pelas técnicas de Yôga, sempre biológicas.
Além disso, ainda há os relaxamentos que ajudam a eliminar as tensões musculares, quer sejam elas provenientes de má postura, cansaço físico ou stress.

9 – Impotência sexual/frigidez
Aí está uma das coisas que despertam mais atenção no Yôga. É que a simples prática regular aumenta bastante a energia sexual e aprimora o prazer sensorial.
Os homens têm mais reservas em confidenciar problemas nessa área, mas não resistem e comentam os resultados fascinantes de uma prática a curto prazo. É até freqüente, o homem e a mulher que praticam Yôga, perceberem sinais de excitação genital durante a execução de algumas técnicas, mesmo em sala de aula. Alguns, preocupados, vêm nos consultar depois da aula para saber se há algo errado com eles, mas esclarecemo-lhes que é perfeitamente natural, pois o Yôga tem uma atuação muito intensa nas glândulas endócrinas a fim de despertar a kundaliní e, com isso, produzir o samádhi, estado de hiperconsciência e autoconhecimento que constitui a meta do Yôga.
Existe porém o outro lado da medalha. É que também aumenta a fertilidade. Muitos casais que não conseguiam ter filhos, com a prática do Yôga obtiveram a fecundação em pouco tempo. O curioso é que nenhum deles fôra praticar Yôga para isso, pois não imaginavam que tivesse tal efeito.

10 – Alongamento muscular
Sabe-se, nos círculos mais informados, que o alongamento ou streching é, nada mais, nada menos, que um aspecto limitado do segmento do Yôga denominado ásana (pronuncia-se ássana). Por isso, quem detém o melhor know-how de alongamento são os instrutores de Yôga.
Desenvolvemos no Yôga um método de alongamento a frio que é muito mais eficiente e ainda nos garante duas coisas com as quais todo desportista sonha:

1. proteção quase infalível contra distensões (mesmo praticando esportes sem o aquecimento prévio);
2. o desportista não sai de forma quando precisa interromper os treinos (dependendo do esporte, pode manter o atleta relativamente em forma, até durante anos sem treinar).
Graças ao perfeito domínio técnico deste know-how, temos treinado muitos desportistas, dançarinos e lutadores, com resultados bastante animadores.

11 – Flexibilidade x musculação
É verdade que quanto mais musculado, menos flexibilidade se tem? Isso é apenas uma meia verdade.
Primeiro, vamos entender o que é a flexibilidade. Muita gente confunde alongamento muscular com flexibilidade. Ocorre que esta compreende uma série de fatores dos quais os músculos são só uma parte.
É geralmente aceito que o músculo muito alongado perde em força e que o músculo muito forte perde em alongamento. Contudo, sabendo trabalhar o corpo, obtém-se músculos fortes e bem alongados, simultaneamente. Um bom exemplo disso é a ginástica olímpica.
O Yôga possui uma divisão de técnicas que desenvolvem a musculatura de forma extremamente harmoniosa, conferindo domínio até de músculos considerados involuntários, o que contribui para uma performance superior em qualquer esporte, dança ou luta. E ainda garante uma proverbial flexibilidade articular e muscular, obtidas mediante a eliminação de tensões localizadas, a conscientização de grupos musculares e as permanências maiores no ponto culminante de solicitação.

12 – Competição esportiva
Mesmo com o corpo em repouso, quando se fica nervoso a respiração acelera. É comum as pessoas ficarem ofegantes quando emocionadas por um grande susto, medo, raiva ou nervosismo, como, por exemplo, antes de uma competição.
Muito antes de se pôr os músculos a trabalhar, o coração já está acelerado, a musculatura pré-intoxicada e o corpo cheio de adrenalina, tudo isso com uma antecipação prejudicial. O resultado é uma considerável perda de energia e uma queda de rendimento, só por nervosismo e stress. Lá se vai o fôlego por falta de controle emocional. Lá vem uma distensão por estar-se tenso demais e com a musculatura muito contraída. Quantas medalhas e troféus foram perdidos por causa disso!

Fonte Tratado de Yôga – Mestre DeRose

disposição

Mais disposição para o dia a dia

 

Nessa aula gravada para o nosso grupo no facebook o professor Leandro fala por que o yoga é a melhor prática para o ganho de mais energia e disposição para enfrentar os desafios ou mesmo aproveitar os momentos de lazer mais intensamente.

 

Na escola yôga Blumenau é ensinado uma metodologia de yôga integrada onde é desenvolvido todos os aspectos para melhorar a qualidade de vida dos alunos. Como técnicas orgânicas para obter um corpo mais forte e flexível, técnicas de respiração para uma expansão da capacidade pulmonar e absorver mais energia, técnica de descontração para gerenciamento do stress e conquistar um emocional mais forte e uma mente mais preparada e concentrada aumentando a performance no trabalho e nos estudos.

 

Muitas empresas sabendo desse benefício contrata profissionais de yoga para ajudar os seus colaboradores a conquistarem uma melhor qualidade de vida e ao mesmo tempo ganhar mais eficiência nas suas tarefas dentro da organização.

 

Confira mais benefícios do yoga nesse artigo: Os Benefícios do Yoga

 

 

Compartilhe com os seus amigos